Um amor puro (mas não me conta tua vida)

Estou postando essa música, que adoro, mas com um ENORME porém: a parte que diz “E a tua história, eu não sei – Mas me diga só o que for bom”. Que é isso? Então a gente já tem mania de idealizar as pessoas quando está apaixonado, imagina se não souber de seus problemas e suas roupinhas sujas? Além disso, que prepotência querer conhecer só o lado bonito das pessoas. A vida não é assim. Fiquei muito decepcionada com o tão querido Djavan por causa desse pensamento que ele expressa, que quase estraga a letra de uma música tão bela. Todo mundo tem bagagem e nem tudo é leve.

Se quer me conhecer, vai acabar caminhando comigo. Se caminhar comigo, vai acabar conhecendo o peso da minha bagagem, e é melhor que conheça, porque eu quero que goste de mim do jeito que eu sou. Eu não me envergonho do que carrego dentro de mim. É a minha vida. Eu vivi essas coisas tendo sido boas ou não, elas fazem parte da MINHA vida e eu não me envergonho delas nem do sofrimento ou alegria que me causaram ou me causam, assim como comemoro tudo de bom me aconteceu em todos esses anos. Se precisamos ser leves porque estamos nos conhecendo? Tudo bem? Mas me diga o que for bom? Vai se catar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s