O anjo caído…

Hoje descobri que estou travada, pensando no que as pessoas vão pensar sobre o que escrevo, no que os outros vão dizer quando souberem quem realmente sou. Isso me libertou. Quero dizer que não estou nem aí para nada. Que não me importa se alguém vai me achar vulgar, louca, irresponsável ou arrogante. Eu sou essa pessoa, cheia de sentimentos, e sentimentos são insanos, contraditórios, intensos, vulgares, rasgados, estúpidos. Portanto, contenho em mim, um pouco de cada uma dessas deliciosas coisas que fazem a gente sentir o sangue correr nas veias. A partir de hoje, falo o que quiser, esperando o que vier. A partir de hoje, liberto toda a repressão da infância, que me obrigava a ser uma “boa menina”. Não quero ser uma boa menina. Quero ser eu mesma sempre. Boa, má, forte, fraca, recatada, vulgar, burra, perspicaz, idiota ou malandra. Eu, do jeito que eu estiver, de acordo com o tempo, chuva ou sol. Eu, do jeito que eu quiser, no momento que eu quiser. Debochada, vazia, obcecada, infantil, preguiçosa, deprimida, sofrida, exagerada, sortuda, azarada, várias eu e eu mesma. Adoro ser assim e não quero mais ficar escrevendo coisinhas para agradar a quem nem lê. Quem sabe agora, leiam mais e achem mais interessante? Quem sabe agora, que vão ficar achando que me conhecem, tenham mais vontade de participar do meu dia-a-dia. Agora eu digo, não me importa mais. Vou escrever pra mim e só para mim. Se alguém gostar ou não, não me interessa nem muda nada. É como um grande salto do alto de um telhado. Como aquele anjo que decide ser humano, por amor. Ele se joga, se “estabaca”, sente, sangra, e sorri. Assim que chega ao solo, tentando dividir sua alegria com as pessoas que passam, já percebe como o ser humano é pequeno. As pessoas o olham como se ele fosse louco e saem correndo. Embriagado de amor pela vida, pelo calor do sol, ele sai em busca de seu amor. Sempre a porra do amor. Então ele vive sua primeira noite como homem e se sente realizado. O que acontece depois, não importa. Ele tomou sua decisão e agüentou as conseqüências. Assumiu o que realmente queria e contrariou até Deus. Ele se jogou do telhado. O anjo, caiu…

Hoje me jogo do telhado, hoje dou minha cara a tapa, hoje deixo de tentar ser perfeitinha, certinha, para me estabacar no asfalto. Só tenho que lembrar que muitos de vocês estarão me olhando estranho, ou rindo de mim. Levanto, sigo, sangrando e sentindo prazer por isso. Estou viva e posso até voar para o alto do telhado novamente. Pois a lagarta se transforma em borboleta, e agora pode voar!

Anúncios

4 comentários sobre “O anjo caído…

  1. Adorei, é isso mesmo… Sabe que outro dia um cara me disse que leu meu blog e achou uma ” putaria” ?…as pessoas… sempre as pessoas….Deixa elas pra lá e escreve pra nós, que gostamos dos destemperos…BJPS. Obrigado pela visita!

  2. Isso mesmo minha “Nicolas Cage” de saia, viva a sua vida e não tente se adaptar a vida dos outros, porque não se ganha nada com isso. Tome as suas decisões, pule dos telhados da vida(No sentido figurado viu porra!!!) e quando aparecer a sua “Meg Ryan” de calça, faça uso do seu livre arbítrio diante de Vc e pra Vc!.Do melhor Irmão que Vc tem !

  3. Minha querida, vc pode td que quiser, vc pode td que desejar…e ainda escreve coisas tão lindas, que “cabem tão dentro de mim”, uma sintonia perfeita, é impressionante como o que vc sente tem tanto a ver comigo.BjRita (a melhor irmã que vc tem!!) rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s